segunda-feira, fevereiro 21, 2011

Sem querer te faço canção- Lua pra Lobos

DSC_0113_large

Você sabe que quando não estamos fazendo nada ela pega o violão, senta ao meu lado e ali fica me encara enquanto digito no notebook- você vai queima esse seu computador- ela diz enquanto seus dedos passam pelas cordas do violão- É eu sei, mas é rapidinho eu já vou tirar ele daqui- digito mais algumas coisas e desligo, fecho. Levanto da cama com o notebook em mãos e o deixo em cima da mesa perto do outro computador, volto pra cama, deito colocando as mãos atrás da cabeça- E ai?- olho pra ela que ainda está passando os dedos nas cordas, sem tirar um som exato dali, sem uma canção conhecida, sem sua voz tomar o ar- Vai cantar pra mim?- pergunto, ela não me olha, pelo contrário, fecha os olhos e no segundo seguinte seus dedos se posicionam no violão. Ela começa a cantar, com sua voz forte, pois não tinha cantando hoje ainda- “Te pego de tudo, te pego do foço, te trago do mar... Faço-te canções, te entrego canções, a luz do luar... Falo bonito, te compro um livro pra se apaixonar. Sou você quando ama, eu na cama, a te esperar. Sou um sol ou um mi, pra você me amar... Te entrego meus dedos sujos das cordas de tanto cantar... Sou um pedaço do livro, palavras escritas em negrito, será que você vai se apaixonar?”(1)- Ela para de cantar, enquanto eu procuro encontrar a música “ de quem é? Vanessa da Mata? Lenine? Ana Carolina?”- É minha- ela diz esclarecendo as minhas duvidas- Sua?- pergunto surpreso- sim.- ela responde como se fosse simples e comum fazer uma música- Na verdade- ela começa a dizer- só tenho a letra, a música em si não tenho definida ainda- ela me encara finalmente- Porque não canta lá no Jorjão?(2)- Ela me encara outra vez- Daniel, não da pra cantar lá ainda, você escutou meu violão? Está desafinado, preciso arrumar ele, eu não toco direito, sou péssima, não sei como ainda tenho essa coragem de ir cantar em um lugar publico- ela parece nervosa e triste- Amor, para com isso. Desculpa, eu não faço a menor ideia do que é desafinado ou afinado, mas a sua voz eu tenho certeza, ela é ótima, e podemos resolver esse negocio do violão, com aulas e mandar arrumar o que acha?- ela me encara e depois volta para o violão, meu coração dói um pouco “que ciúmes dele, sempre com ela, sempre...”- But oooooooooh- Ela começa a cantar- There's a little bit of me inside you(3)- ela para com os dedos entre as cordas, sua voz rouca, mas só quando canta demais, faz da canção um estilo “Adriana Calcanhoto”... –é pra mim?- pergunto- ela sorri- está tão na cara assim?- Ela sorri, deixa o violão de lado e vem pra cima de mim- Eu te amo- me diz séria, como se fosse uma bronca- Eu te amo- digo, sorrindo como se fosse uma brincadeira. A brincadeira mais séria.

tumblr_led5pmfHDA1qar23fo1_500_large

Enquanto ela lê o bilhete seu coração sorri, ao lembrar também daquela tarde em que cantou uma canção feita por ela pra ele. Daniel ou “Lobos” como os amigos chamavam e ela também desde que se conheceram, ele sabia como emociona-la, seu coração ainda estava disparado, ela sabia que não deveria ir, correr atrás, o que ele fez a machucou de mais, mas ela o amava, o amava tanto. Enquanto dirigia perguntava-se “viver o resto da vida sentindo saudade, amando o que não posso mais ter ou deixar o orgulho de lado, sarar as feridas e perdoar e tentar viver bem com o meu amor?” Liga o rádio “a música que vai tocar, vai decidir” liga o rádio e pra sua alegria, coisa do destino ou acaso um homem de voz grossa e marcante canta- “... És parte ainda do que me faz forte...” (4) Ela nem escuta o resto, já sabe pra onde ir.

 

 

1. A música que a ‘ela’ canta, é minha, e é verdade que não tem cifra ainda, não tentei passar ela para o violão, como no texto, meu violão também está péssimo.

2. Jorjão- é nome do bar onde ela canta, no primeiro e no segundo texto ela esta cantando lá e o Lobos/ Daniel está lá para vê-la cantar.

3. A música que ‘ela’ canta em inglês é da banda Kings of Convenience-e o nome da música é- Me in you- ela canta está parte Mas oooooh Tem um pouco de mim dentro de você”

4. A música que ‘ela’ encontra na rádio é da Legião Urbana- Giz.

8 comentários:

Cáh disse...

Giz sempre diz tudo. Mas seria aceitar viver com uma faca cravada no coração, talvez.

Um grande Beijo Luana, gostei muito!

Dave disse...

Giz é foda!

Fernand's disse...

putz, adoro essa música!



bjsmeus

Daniella Ockner disse...

Essa mania de escrever músicas que talvez ainda demorem muuito para ganhar suas cifras? haha Me identifico com a arte, assim como a grandiosa estratégia de deixar que canções aleatórias apontem um "destino". Mas, não é que funciona? Sempre acreditei no fato de melodia não ser apenas "melodia" e na inexistência de coincidências.
Gostei muito do texto, ficou muito doce e repleto de carinho! é como se, mesmo sem uma experiência pessoal parecida, pudesse sentir o afeto entre as personagens!
Ah! talvez tenha talento para ser compor músicas também, haha :)
Um beijo

♥ Luciana Mira ♥ disse...

uau... to amando pasar por aqui!

bjus

Rebeca Postigo disse...

Ah...
Encantada com a doçura de tuas palavras...

Bjs

Nos Amando... disse...

tá mais encantador
de ler
foi ver no final dasua
postagem
vc revelando o que é verdadeiro
ou não
linda semana

• cynthia bs disse...

Ai Ai Ai *--*
Está divino! Adorie essa parte, Lúh.
Engraçado, não sabia que além da escrita és compositora! Nem me contas né, mulher?

hehe*

Boa sorte em tudo na vida.

Fica com Deus,
beijos.