quarta-feira, dezembro 15, 2010

E se você puder sentir poderá ver.

 

 

Half of what I say is meaningless But I say it just to reach you…♪(TheBeatles)

4710191391_915e52b972_z_large

Você e eu na cama eu olhando para cima tentando me concentrar na sua mão que brincava com os meus dedos finos. Desviei meus dedos da sua mão traiçoeira e comecei a brincar com os seus cabelos, apenas sentia as mechas grossas que passavam por meus dedos, seu cabelo liso que eu imaginava ser da cor da escuridão que vagava em meus olhos.

Sinto que você se aproxima do meu corpo e encosta sua cabeça na minha barriga e outra vez procura por minha mão e começa a brincar com ela.

- Como está o céu hoje?

Ele respira fundo, se aconchega na minha barriga, me abraça mais com as mãos do que com os braços e finalmente diz “hoje o sol acordou cedo e está forte, não está com calor?”.

- muito.

- quer que eu ligue o ventilador?

- eu quero que você fique aqui...

-mas eu vou continuar aqui, só irei ligar...

- não precisa.

Depois de um susto percebo suas mãos em meu rosto, passando por meus lábios e depois pelas bochechas...

- você é tão linda. – ele elogia.

- Não é verdade... – eu não concordo.

-como pode dizer uma coisa dessas?

- como você pode dizer uma coisa dessas?

Senti seus lábios carnudos pressionando os meus, sua língua macia acariciando a minha e depois fugindo das minhas vontades.

- Eu te amo.

Eu não consigo dizer nada.

- E não importa se você não acreditar, pois vou ficar com você para sempre até que você acredite que eu amo você independente de qualquer empecilho que você crie.

- Você é tão jovem... E pelo que minhas mãos me transmitem você é lindo, por que se prender a mim?

- E porque não me prender a você e ter toda a liberdade de te amar?

- Eu não enxergo... – confessei mais uma vez.

Senti sua mão sobre o meu seio, aquele onde em baixo mora um órgão muscular tecnicamente oco, mas sentimentalmente cheio de amor, estremeci com a sua mão ali e ele percebeu.

- Você sente isso? Aqui dentro... – ele acariciou meu coração, o oco e o sentimental.

Eu não respondi.

- Você sente algo por mim? Ai dentro... Existe algo para mim?

- Eu acho... – peguei sua mão e pressionei sobre meu coração para que ele sentisse cada batida- Que não há espaço para você... Porque na verdade ele é todo seu...

Escutei seu riso, suas mãos me agarraram sua boca se perdeu na minha novamente... Eu poderia ver tudo aquilo, mesmo que meus olhos ocos não enxergassem nada, mas meu coração também era feito apenas para bater e não para carregar tanto amor como carregava.

 

Amores

Eu ganhei mais alguns selinhos e desafios, logo mais eu posto.

Muito obrigada aos blogues que me indicaram, sem vocês No recreio não seria nada.

E quero pedir desculpas por está sumida de alguns blogs é que não estou tendo tempo suficiente para ler todos os blogs que sigo, mas sempre que posso passo pelo cantinho de vocês e leio.

Obs. Quem quiser add no msn e Orkut ou qualquer coisa do gênero no espaço “ Quem faz?” tem tudo lá.

Beijos, Luana

17 comentários:

gabs disse...

Nossa Lu, nesse você caprichou, arrepiou do inicio ao fim.
Encantador, perfeito maravilhoso.
Emocionante, tocante.
Tenho tantos elogios que eria que ficar aqui até amanhã!
Parabens

Marcos de Sousa disse...

Tem dois presentinhos para você no meu blog. Espero que goste. Depois passe lá para buscar.

http://omundosobomeuolhar.blogspot.com/2010/12/infindavel.html

Beijos

Betty Gaeta disse...

Oi Lu,
O texto ficou impressionante, pelo fato de uma das partes não enxergar.
Bjkas e uma ótima noite para vc.

http://gostodistonew.blogspot.com/

O Profeta disse...

Mas porque raio vejo em tudo
A musica sempre presente
Porque umas vezes me faz triste
Outras me deixa contente?

E fui cantador de prosas sem rima
E fui tenor de palavras sem sentido
Cantei invenções e perdidos sonhos
E nisto não fui um cantador contido

Cantei-te a vida que vivi
As coisas que me fazem sofrer
Neste palco ninguém morre
No aplauso julguei esquecer...


Doce beijo

Gigi disse...

Bom Dia
Lindo Texto no inicio nem percebi que ela era cega ficou muito legal Bjos

Ana Lange disse...

Eu coração já foi bem oco assim. Mas eu acho que ele ainda é às vezes. Infelizmente o medo faz a gente se bloquear e acabar perdendo muitas coisas.

Aline disse...

Nossaaaaa! que história mais linda. Concordo com Gabs, arrepiou!
Parabéns pelo blog, tá tudo lindo por aqui!

Ah, tem PROMOÇÃO ESTRELINHA DE FIM DE ANO NO BLOG! Participa lá, não vai ser difícil ganhar!

http://umdiaamaisblog.blogspot.com
beijos e BOA SORTE FLOR!

Suzi C. Lima disse...

Um texto que fala de amor! *.* . Tão bonito^^ (Faz tempo que não escrevo um desses...ai ai, saudades de quando eu era menos amarga. Mas, é bom ler o dos outros. Dá pra perceber que essa pureza ainda não foi perdida.E que continue assim! Naquela frase batida "acredite no amor!").

A segunda parte do conto "Férias Interrompidas" já foi publicada (se quiser conferir):
http://emyhouse.blogspot.com/2010/12/ferias-interrompidas-2-parte.html

dear sarah disse...

Luaninha, que história bacana adorei.
Amei tambem você ter me adc no orkut (:
você é muito bonita !
rs


bjs e ótima quinta-feira.

Babi disse...

que lindo post!! Profundo... adorei! :)

o Título também, muito instigante!

=*

Nina disse...

Adorei o texto querida!

bjos

Camila disse...

Oie querida!
Estou te seguindo.
Participa do sorteio que está rolando no blog.
1 clutch, 1 cesta de pães de mel, 1 mini agenda 2011 e 1 lingerie!
Beijos
www.milipavan.blogspot.com

so sad disse...

love love love
nada melhor!
bjo

Hosana Lemos disse...

nossa!!
encantador...

amar independente de tudo.
LINDO.

D. M. Rangel, disse...

Algum dia você vai escrever algo que não me agrade?

Sua poesia é luz para meus olhos

Mais uma vez, linda, linda

Parabéns, Lua


Beijos e um ótimo final de semana!

Rodolpho Padovani disse...

Esse daqui tá cheio de sentimento, adorei.
Pude ver a cena toda se desenrolando na minha frente e até senti o pulsar do amor dos dois.
Lindo mesmo.

Bjs =)

Descobrir-se Descobrindo disse...

Você realmente anda inspirada ao romantismo. É bonito ver o amor dos persongens.
Será que um dia as pessoas normais serão capazes de um sentimento tão sublime?