sábado, março 12, 2011

Um oi para o destino. Uma primeira vez para as primeiras vezes.

Quando menina corria pela casa, fazendo barulho com a boca, gritando amor e fazendo guerra. Aonde vai menina? Um belo rapaz dizia. Mas ela nem respondia, dizia mesmo que não ligava que não era desse mundo que seu coração nasceu por si e por si criou-se, é dono de si, um coração independente por que Deus quis assim. Passava pelas meninas de choro fácil, pelos rapazes de palavras fáceis, ela ia e não olhava pra traz, ela ia e não voltava. Um dia em seu quarto pintou o teto de azul e espalhou seus desenhos horrorosos pelo quarto, só pra fazer bagunça nada mais. Dizia que o mundo era seu e a casa um refugio daquelas pessoas que tanto lhe apontavam o dedo. Mas um dia quando saio para comprar mais tinta azul resolveu sentar no banco de uma praça, minutos depois um moço sentou ao seu lado, este nem lhe botou reparo- como um homem pode não perceber que estou aqui? Não me falar? Não me namorar?- sente seu ego decair, sentiu-se humana pela primeira vez e o gosto da dor não era como o gosto dos dias em que se acorda com o pé certo. Tentou lembrar – mas com que pé acordei hoje?- e lembrando ficou triste- sim foi com o direito que hoje toquei o chão gelado, mas o capaz ainda não botara reparo nela. Teve vontade de falar, de dizer algo como- oi e como vai?- mas nada saiu, a palavra certa fugiu. Batendo uma mão na cocha -uma de cada vez- criando um ritmo começou a cantar- Save some face- sua voz doce penetrou no ar, só não sabia se estava penetrando nos ouvidos daquele rapaz, sem verificar nada ela continuou- sentio o gosto do medo- mas foi em frente-You know you've only got one- ela respira fundo, uma mão de cada vez, um pé que bate no concreto e continuou- Change your ways- o rapaz nesta hora a encarou e ela sentiu o gosto da conquista, mas desta vez algo era diferente, ela não queria parar de cantar, não sentiu vontade de ir embora como sempre sentia e continuou a cantar- While you're young-o rapaz seguindo o ritmo das mãos da moça começou a imita-la e ela continuava a cantar-Boy, one day you'll be a man- dessa vez ela não teve medo e o encarou seus olhos castanhos banhados pelo brilho do sol fizeram algo dentro dela se mover ‘era fome?’ pensou, pois nunca havia sentindo algo tão parecido, aquilo era a primeira vez de algo desconhecido, o que era? ‘estava passando mal?’ não sabia... Continuou a cantar- Oh girl, he'll help you understand- agora respirou e cantou o refrão e para sua surpresa o rapaz cantou junto- Smile like you mean it- e eles sorriram.

- qual o teu nome?- ele perguntou.

-Melissa- ela sorri- e o seu?

-João. Sabe, Melissa- e o nome dela deslizava sobre os labios dele, ele pronuciava com ternura como se já se conhesessem- eu ia fazer uma besteira hoje...

Ela nada diz, tem medo – ‘ia me assaltar?’ pensa.

- Eu ia chegar em minha casa e acabar com a minha vida- ele diz, quase chorando, quase feliz, quase agradecendo a Deus.

Melissa não sabe o que dizer, sente-se leve e pesada, sente aquela sensação de fome, mas que não é de fome, sente pela segunda vez aquilo que já sentiu pela primeira, e não sabe dizer o que é. Entre as sensações que ainda não sabe definir e que confunde com fome entre outras coisas, Melissa sente o gosto de ter visto o destino passar por perto, ou a coincidencia, ou sabe lá o que as pessoas dizem hoje em dia. Melissa não sabe o que dizer, tem vontade chorar. Melissa não sabe oque sentir, tem vontade de abraça-lo. Melissa não sabe o que fazer, então resolve cantar- Smile Like You Mean It...

 

5 comentários:

Van disse...

Lu ! Que coisa mais linda esse texto ! E essa música final ? Sabe que eu estava me sentindo no lugar do rapaz do texto por conta de algumas coisas chatas que andaram acontecendo comigo esses dias... Mas hoje a ideia já era de renascimento , de surgir das cinzas porque a vida deve seguir e não pode ser diferente... E sei texto me deu mais essa prova , de que é isso mesmo , devemos continuar depois das dores...

Tomei a liberdade de escrever meu post e depois de incluir essa música ao final , pois ela vai embalar meu dia hoje numa trilha mais feliz ! Grande Beijo ! E obrigada !

Dave disse...

Renascendo de um impossível, possível renascimento impossível de se acreditar que viria ser... Possível.

Daniela Filipini disse...

Não pude evitar escutar essa música agora.
Lindo, lindo.

Júlia disse...

Luana, que coisa mais linda! *-*
a música perfeita para o texto também. parabéns.

beijo =*

Rebeca Postigo disse...

Adorei o texto!!!
Encantador...
Amei!!!

Bjs