domingo, fevereiro 13, 2011

Degraus para chorar...

Infelizmente não posso dizer que me acostumei com essa desgraça, tem coisas na vida que não da para optar pelo costume, assim, sempre que acontece é a mesma coisa, às vezes muda, da uma canseira de ser sempre, sempre, sempre e sempre nunca mudar. Enquanto a vida mata os dias de uma criança que chora sentada em uma escada, a vida lhe da tempo e tempo, para que aquela criança cresça e saia da escada “vá chorar lá em cima, aqui não é lugar de chorar” e tem lugar pra chorar? Diz-me? Tem? – bem aqui vemos a sala e aqui ao lado temos um lugar exclusivamente para chorar- não, não tem. Até pra sofrer temos que ter classe ao dizer ‘tudo bem’ para que no ‘bem’ não sai com uma ponta de tristeza, que ao começar a dizer ‘tudo’ não haja espaço para o ‘ruim’, ‘na merda’, ‘uma bosta’... Não, depois tudo tem que vir o bem, e assim as palavras que nos tanto sofremos ao dizer, saem e assim passamos despercebidos, pelos olhos daqueles que nos transmitem piedade, pelos pensamentos alheios que nos julgam entre outras coisas, enfim ‘sentada na escada não dá, vá já lá pra cima’. Deve ser meu jeito de não acreditar em nada que faz com que me surpreenda sempre, deve ser a falta de confiança e o meu cobrar de mais, que não me deixam ser como todo mundo. Devem ser meus julgamentos que me afastam das pessoas e assim lhe dão direito de me julgar também. Esse fato de eu sempre pensar no pior, e depois ver que a vida pode ser boa, com pouco, muito pouco, mas nunca será o bastante. Sempre da pra mentir mais, sempre da pra dizer que está tudo bem quando não está, da pra ser indiferente por causa do ego ferido, sempre dá, um jeitinho... Nem pra sofrer temos essa liberdade “você é fraco!”, “hora já passou do tempo, você tem que superar isso”, “veja bem, você é jovem, não entende nada disso”. Na verdade ninguém conhece o inferno pessoal de ninguém, não sabe por quantos graus de Dantes aquela pessoa passou ou está, é bem mais fácil julgar do que entender, é mais afirmar do que querer saber, é mais fácil dizer “são todos iguais” do que perguntar “e você, o que você acha sobre isso? Como se sente...”. Mas ninguém fará isso... Então deixe me chorar aqui no meu canto, sei que cresci mais este degrau ainda me recebe, ainda caibo ainda choro...

6 comentários:

Vitória. disse...

O No Recreio é pra mim, uma inspiração. Obrigada por escrever textos tão lindos.

Feh Castanho disse...

Lembro de minha vó mandar eu e minhas primas chorar na cama que é lugar quente.

dear sarah disse...

Chorar faz bem, se esvazie, precisamos disso!

Só não deixe que o choro vire algo ruim em seu coração.
Beeijos!

Dave disse...

"Eu só volto... Quando aprender a chorar..."

Gabriela Freitas disse...

E como choro...

Daniela Filipini disse...

Sabe... Quando as pessoas nos dizem que somos fracos, que devemos esquecer logo e seguir em frente, passou.. Bom, elas não sabem o que dizem. Porque apenas quem sente sabe o que sente, e não é possível entender. Onde já se viu entender algo que nos faz sofrer tão intensamente? Isso não existe, somos vítimas de nossos sentimentos, não escolhemos de quem gostar, não somos donos de nós mesmos, e a cada dia que passa, tenho mais certeza disso. Adorei seu blog, vou segui-lo.
Beijo, querida, obrigada pela visita.