segunda-feira, agosto 23, 2010

Minha casa...

... Seria como padecer em frente ao espelho todo dia.
Mas penso que só não seria como é.
Eu que já não acho mais as palavras.
Eu! Que me encontro todo dia
Brigo
Pergunto
Respondo
Eu e minha guerra interna.
Na porta da minha vida, a saudade bate na porta, de vez em quando.
Encontro à revolta, escondida em gavetas empoeiradas, ali... Mofando, estragando as minhas roupas, me fazendo feder toda vez que as uso.
Encontro-te nas telas, dos meus olhos, onde em fotos antigas vejo a minha felicidade petrificada ou poderia dizer, polaroid( tizada) ? Não, não... São apenas fotos, é só a minha vida ali.... Que ficou parou e registrou.
E todo dia, bem ali, de frente para o espelho, percebo que a gravidade visita minhas coxas e seios e a experiência cria morada em mim.
É como uma via de mão dupla... E ai em um belo dia, as duas se cruzam, meu corpo cai... E minha mente fixa.
Mas ainda penso, que só não seria, como é.

6 comentários:

Betty Gaeta disse...

Oi Lu,
Valeu a demora para postar, pois o texto está fantástico. Adorei.
Bjkas e uma ótima semana para vc.

Karine Melo disse...

Lu, como sempre você nos tras textos lindos e de uma riqueza de sentimentos.

E quem não tem uma guerrinha interna, não é? eu que o diga!

beijão, flor :*

Da minha janela. disse...

gostei do seu blog viu..
depois passe pra conhecer o meu!

http://janeladaminhavida.blogspot.com/

Penedo Junior disse...

Acho q isso acontece com todo mundo...
Beijo grande!

Luiza disse...

essa guerra de dentro e esse tempo que passa... crueis. no fim tudo é fim, termina, nas fotos a gente vê como viveu. beijos

Manias de Benetti disse...

'Encontro-te nas telas, dos meus olhos, onde em fotos antigas vejo a minha felicidade petrificada ou poderia dizer, polaroid( tizada) ? Não, não... São apenas fotos, é só a minha vida ali.... Que ficou parou e registrou.'
Adorei essa parte

;*

Marina