quinta-feira, junho 23, 2011

A casa do sonho.

THE O.C.:  L-R:  Mischa Barton and Benjamin McKenzie star in the new one-hour drama The O.C. premiering Tuesday, August 5 (9:00-10:00 PM ET/PT) on FOX.

Obrigada por quase tudo que ficou, obrigada pelo que era pra ser, mas agora, não da mais.

Obrigada por quase tudo que deixastes as saudades que pendurastes as lembranças que criastes. Obrigada.

Neste caso de saudade, das horas que passam pelos nossos ponteiros, pelo dia que se esvai, eu fico.

- lembro-me de você todos os dias.

Quase acho que não é saudade, é costume de pensar em você no decorrer dos dias, e às vezes parece que nada passou.

Ainda volto para você nos meus sonhos e em uma cadeira você está sentado me esperando, ao lado, uma poltrona vazia espera o meu aconchego.

- não aceito sofrer por mais ninguém.

- É aquela velha história- você me diz.

E parece que cada vez que outro me encanta, eu novamente não tenho forças para sanar as esperas, ultrapassar a conquista, eu sempre quero continuar de onde paramos começar do meio, começar da rotina de ver alguém todo dia, de as mãos já saberem onde se tocar, dos beijos já saberem a hora certa de chegar. Eu quero a rotina.

- não existe mais você eu.

Eu concordo. Deve ser por isso que lembrar o seu jeito, da sua voz, suas brincadeiras, dos nossos poucos dias juntos. Torna tudo, tão, mais tão mais fácil de seguir.

8 comentários:

Grasi disse...

De muita sensibilidade... gostei:)
Bjão e um feriado super iluminado.

Tay disse...

OMG', gostei muito do post xD

bjus =*

Luria Corrêa . disse...

No meu caso, ter essas lembranças só me deixa pior Lu. Mas isso é óbvio demais e também o de menos né. O fato é que eu também gostaria de recomeçar de onde paramos e por isso não consigo dar um passo se quer. Uma verdadeira deslocada.

Que bom voltar a ler suas palavras !

Beijo grande.

www.disturbiossobrios.com

Morgana Rocha. disse...

Saudade é um sentimento angustiante, mesmo não gostando de sofrer, a gente sempre lembra.
Beijos.

Solange Maia disse...

dizem que não partimos nunca, nem dos afetos e nem das lembranças...

que texto bom !!!

beijocas

Alicia disse...

doído.
e belo.

Júlia disse...

Luuu querida! Muito tempo que não passo por aqui! Me desculpa a ausência.
Gostei do texto, mas de certa forma, não quero a rotina... Ela me irrita sabe? Ainda mais quando nos referimos a "eles".

Beijo querida =*

Manuella Monte Santo disse...

Bom, saber a hora de abandonar o barco, deixar que o outro siga e seguir em frente, mesmo que sozinho é uma parte de difícil, mas sobrevive-se.