quinta-feira, dezembro 02, 2010

TENTATIVA FALHA- Mas eu apenas imaginei tudo isso! Mas e se for real?

           162771_10150122229083272_519678271_7814604_4720637_n_large

Tenho um segredo aqui guardado no bolço estou tentando me livra das músicas que me fazem escrever, quero meus dedos apenas deslizem pelas letras do teclado e que assim, possa nascer alguma coisa, quem sabe um texto?

Quando estou no meu carro meus olhos vagam e às vezes saem em busca de palavras, palavras soltas. Seriam palavras para textos ou para musica-las? Seria para ler ou seria para sentir? Gostaria de dizer que não sei que nunca sei, quando na verdade aqui dentro transbordam tantas coisas, coisas não ditas. Que coisas? São as palavras várias delas, um monte, centena de milhares. Mas em outras horas e às vezes durante dias elas me faltam, parece que não sei dizer um A e que desaprendo a dizer, esqueço como juntá-las e formar parágrafos e textos. É assim, elas somem com a mesma frequência que aparecem e ai me vem uma chuva delas, bem quando a caneta me falta em mãos.

E eu afirmo que tenho uma amizade toda especial com os papéis, cadernos, a tela Word, espelhos embaçados. Sim, tenho essas amizades. São meus confessionários não saio desses lugares sem antes deixar metade das baboseiras que me fazem mal à alma diariamente. E olha que às vezes penso que é solidão, que é falta de alguém que me de atenção que não me de apenas abraços virtuais e sim um de verdade, daqueles que você pode sentir o cheiro da pessoa, já imaginou? Será que isso ainda existe? Será que as coisas reais ainda tem espaço em um mundo tão virtual? (Um mundo falso)

Mas sei que às vezes perco-me na própria solidão que crio que prefiro o sofá a uma balada, um livro em vez da Bete Gouveia, gosto de criar as minhas vozes, imaginar como seria aquele personagem mesmo com as características que leio acrescento as minhas e pronto. Sabe ainda imaginar? Tu sabes ainda pequena criança, imaginar? E quem poderia descrever em uma folha a decepção que teria se aquela criança não conseguisse imaginar. Alguém?

Que ela não soubesse o que é um computador, que ela não soubesse o que é Nike ou Adidas, ou Barbie e Xuxa. Mas se ela soubesse criar mundos, problemas e soluções constantemente, se ela gostasse de questionasse, se ela quisesse saber por que existem crianças com a mesma idade que ela que vivem nas ruas, que não tem noção do que é brincar, muito menos ter uma roupa um tênis, quem dirá um brinquedo. Mas são crianças que sonham constantemente, em ter e em ser feliz. Por que tenho que ter crianças assim no mundo? Por quê? São apenas crianças.

São adultos. São velhos. São seres humanos apenas. Apenas.

São pessoas que quando tem, sabem ser tudo, mesmo humildes.

São pessoas que quando não tem, sabem ser qualquer ser que chegue próximo do comodismo, mas não sabem serem guerreiras.

E se você não para, se você não gosta de usar seus olhos você se joga na sua própria solidão e diz depois que foi Deus. Que ele quis assim.

Mas e você o que você quis mesmo? O que você fez com a liberdade que foi entregue em suas mãos?

15 comentários:

Rodolpho Padovani disse...

Palavras e palavras, algumas vezes a procuramos, noutras elas vêm do nada, mas é sempre bom imaginar e criar, ou pelo menos tentar, hehe...

Posso dar um dica? A letra que você é tão pequenininha, fica meio difícil de ler, às vezes, mas só às vezes, haha.

Bjs =)

Erica Vittorazzi disse...

As palavras tem fugido de mim ultimamente...

me empresta algumas?


BEIJOS

dear sarah disse...

Que postagem forte , uau..
a câmera é Sony. quer saber a série dela?!


bjs, obrigada pelo carinho, você é mto especial pra mim!

gabs disse...

Mais uma vez seu texto veio cheio de sentimentos.
Detesto quando as palavras me fogem, isso costuma acontecer quando o sentimento que tenho aqui dentro está machucado, aí parece tão dificil dizer o que quero que prefiro não dizer!
O no recreio me encanta cada vez mais, parabes por este seu dom de escrever, este dom maravilhoso que deixa todos nós maravilhados com seus textos!

Nina disse...

Nossa, é por isso que adoro seus posts! Sempre escrevendo de uma forma especial! Todo dia eu venho aqui e dou uma olhadinha pra ver se tem post novo! Quando tem,fico super feliz!

Bjnhos

Nina

gabs. disse...

tem dias que a gente á vazia, né?
entendo perfeitamente.

Suzi C. Lima disse...

Mesmo que no começo do texto diga que te faltam palavras você acaba criando um belo texto.

Um texto reflexivo...
Um texto que fala da solidão que sentimos, e do refúgio que obtemos quando entramos nesse mundo dito "virtual".

Aí você começa a falar de crianças...Do fato de elas só quererem ser felizes..É verdade,é o que elas querem. Talvez esse seja um dos fatos que me preocupem porque muitas crianças passam mais tempo reclusas...Computador,games,TV..(não sei...).

Enfim, gostei do seu blog
estou te seguindo
=)

Betty Gaeta disse...

Oi Lu,
Adorei o texto, mas a imagem me meteu medo!
Bjkas e uma ótima 5ª-feira para vc.

http://gostodistonew.blogspot.com/

so sad disse...

Ler um livro é sempre uma melhor opção.
Mas nunca compus personagens assim como vc, rs.
beijo!

Nos Amando... disse...

em meu caminhar
fez muito em minha vida
de nada me arrependo
por que aprende
e vou continuar aprendendo
linda noite

█► JOTA ENE ◄█ disse...

ººº
Tem dias sim ...(gostei)

PS - Palavra é mto pequenina, desc

Ju Fuzetto disse...

Adorei!!

Obrigada pela visita flor!!!


bom final de semana. beijos

Ana Lange disse...

As palavras estão sempre na minha cabeça, o tempo todo. Quando eu era adolescente escrevia livros pras minhas amigas lerem, depois fiz jornalismo e hoje escrevo pra mim. Espero um dia poder escrever mais e pra várias pessoas.
As palavras só me esquecem quando estou triste.

Descobrir-se Descobrindo disse...

Escrever quando acreditamos nada ter a escrever é a verdadeira manifestação da inspiração do nada.É neste momento que acabamos por criar algo que acreditamos ser
"inútil", mas que por incrível que pareça causam reações inesperadas. E de repente o mover os dedos sobre o teclado sem a menor inspiração, desenvolvem textos com os quais muitos se identificam e - pasme- se inspirem.

Marcos de Sousa disse...

Lindo texto.

Nada mais belo que ter um caso com as palavras.

Beijos