quarta-feira, dezembro 22, 2010

A mulher brincava com tinta vermelha.

 

 

 

2537086507_822154bf20_large

 

A menina cansada de escutar os gritos vai para a sala e senta-se bem perto da televisão liga em qualquer canal, não importa qual seja ou qual programa está passando só importa que a televisão esteja ligada e alguém esteja lá falando e falando sem discussões.

Tenta pela milésima vez prestar atenção na televisão o reporte diz que aconteceu uma chacina em um bar perto do centro e que... Não consegue se concentrar, mais vozes em alto volume, por que não poderia abaixar aquelas vozes com o controle remoto? Por que os adultos tem que brigar tanto? Por que são tão complicados? Quando volta os olhos para a televisão vê que está passando a chamada da novela que será exibida no dia seguinte, a menina se perguntar mais uma vez por que a sua vida não poderia ser igual a da novela, por que seus pais não a mandavam sair ou falavam em voz baixa quando resolviam discutir, por que não pensavam nela? Por que tinham que acabar com as suas noites? Por quê?

Uma porta bate e alguém desce as escadas o homem não a encara é como se ela não existisse, essa indiferença sempre a incomodava queria bater naquele homem porque era tão cruel? Por que parecia não gostar dela? Por que sempre que ele chegava às coisas ficavam ruins e a mulher começava a chorar, as vozes ecoavam pela casa e o ar ficava pesado, por quê? Mas mesmo assim, gostava dele. O amava.

Sentiu o seu estomago implorar por comida não lembrava qual fora a última vez que tinha feito alguma refeição, resolveu ir até o andar de cima pedir para que aquela mulher lhe preparasse algo, quem sabe se fizessem uma refeição juntas talvez tudo ficasse bem e o ar ficasse mais leve e mais respirável outra vez. Subiu a escada animada com a ideia de deixar as coisas melhores e menos famintas chegou até a porta e bateu uma vez... Duas...

- O que é?- A voz de uma mulher que parecia estar chorando, perguntou.

- Mamãe?- a menina chamou.

-O que você quer?!- perguntou aos gritos.

A menina perguntou-se tinha feito algo para aquela mulher, mas logo lembrou que era por causa daquele homem, era tudo culpa dele.

- Mamãe... - a menina chamou mais uma vez, queria entrar, queria ver a mulher, queria saber por que ela não parava de chorar, por que não poderiam descer e comer algo e ai tudo ficaria bem, será que a mulher estava chorando por que estava com fome? Será que a briga fora por comida? Mas tinha tanta comida na dispensa por que tanta briga então?

- Que diabos você quer Felipa?- A mulher perguntou do outro lado da porta.

- deixe-me entrar mamãe?- a menina pediu encostando a cabeça na porta queria escutar algo, o que a mulher estava fazendo? Porque não a deixava entrar?

- Saia já daqui Felipa...

- Mas mamãe...

- Sai daqui agora... Não quero você aqui entendeu?

- Vamos comer mamãe... Você disse uma vez que tudo fica bom quando...

- sai daqui garota insuportável! Vai! Saia daqui!

Assustada com os gritos da mulher, a menina resolve descer e procurar algo na cozinha.

Quando adentra a cozinha repara que o homem está lá sentando próximo da mesa com um copo de água em mãos e a encara.

- Meu anjo?-

A menina para na entrada da cozinha e sente medo de entrar, e se ele começasse a brigar com ela por causa de comida? Ela não saberia o que fazer, não sabia gritar como aquela mulher.

- Está com fome?- o homem alto e forte, de cabelos bagunçados e negros, levanta e coloca o copo sobre a mesa. Caminha até a menina se agachando até ficar da altura dela. - Meu anjo... Está com fome? Posso fazer algo para você?

A menina apenas aquiesceu e respirou aliviada, ele não iria brigar com ela, mas logo sente a preocupação em seus questionamentos, se ele poderia fazer comida para ela por que não poderia fazer comida para a mulher lá em cima? Ela estava chorando não estava? Poderia comer?

- Venha querida, sente-se enquanto preparo algo para você comer. - O homem virou e foi até a geladeira.

Em menos de dez minutos a menina estava na mesa comendo um lanche com leite quente que o homem havia feito. Estava bom e saboroso, ele sabia mesmo fazer lanches, pensou em deixar um pedaço para a mulher...

- Porque não vai comer tudo? Pensei que estivesse com fosse meu anjo. – o homem pergunta.

- Acho que vou deixar para a mamãe...

-Para... – sem entender direito o homem pergunta- para a mamãe?

- Sim papai, não é por isso que ela está chorando?

Entendendo o que a menina disse, o homem procurou palavras para explicar, seria difícil, mas tentaria.

- A Mamãe não está com fome querida.

- Mas ela está chorando... Pensei que estivesse com fome.

- Não meu anjo, ela não está com fome.

- Então por que ela estava chorando papai?

Essa pergunta era certeira, como responderia, mais uma vez procurou por palavras...

- Primeiro termine de comer o seu lanche está bem?

A menina concordou, pensou que ainda bem que poderia comer o lanche estava com muita fome mesmo.

- Bem... A mamãe está chorando por que não gosta de quando as coisas acabam.

- como assim papai?- a menina perguntou enquanto comia o lanche.

- É... – o pai tentou explicar.

-A mamãe não gosta de fim de ano papai?

- Isso meu anjo... A mamãe não gosta de fim de ano.

- Deve ser os fogos...

- Fogos?- o pai pergunta,

- Sim papai, ela disse uma vez que eles fazem muito barulho e que são perigosos.

O pai ri – É verdade meu anjo, são muito perigosos.

Enquanto o pai ria e a menina terminava de tomar o leite, algo no andar de cima estrala, e faz um barulho agudo e alto, a menina se assusta derrubando o copo no chão olha para o homem que agora está sério e seu rosto parece tenso, como se tivesse visto um bicho papão.

- Fogos papai?- ela pergunta.

- Espero que sim meu anjo- então pai deixa a mesa correndo e sobe a escada.

A menina sem entender resolve seguir o pai. Quando chega ao andar de cima escuta o homem clamando por alguém, pedindo ajuda, e depois chamando por Deus, escutou o homem chorar e resolve entrar no quarto. Quando começa abrir a porta repara que a cama esta vermelha, será que a mulher estava brincando com tinta? Em um segundo, antes de abrir mais a porta, o homem sai do quarto e pega a menina no colo levando a para sala.

- fique aqui querida. - Homem diz com o rosto coberto por lagrimas.

- Papai a mamãe... Ela derramou tinta vermelha no colchão?

O homem chorando responde- Querida, apenas fique aqui está bem?

Oi meus amores.

Peço mil desculpas por ter sumido, mas é que estava sem telefone e sem internet. =/

Eu recebi vários selinhos, muitoo obrigada. Mas infelizmente só postarei ano que vem, sim está é a última postagem do ano. Eu tinha programado algo mais elaborado, mas como estava sem net tudo foi cancelado.

Gente Feliz Natal e Ano novo, que 2011 não seja apenas mais um ano e sim que seja O ano. Que os desejos e vontades sejam realizados, os amores conquistados e preservados, e para os que ainda não encontraram um, que encontrem então uma paixão, um amor... O errado ou certo. Que seja por um dia ou por uma vida, mas que seja sempre verdadeiro, que seja de coração.

Enfim obrigada por mais um ano de blog No recreio.

Abraço forte e um cheiro da blogueira que vos escrevem.

Luana.

15 comentários:

Rodolpho Padovani disse...

Nossa, que triste esse. Fiquei aqui preso nas palavras, como se eu assistisse toda a cena. Terminei de ler triste pela menina que não entendeu o que tinha acontecido e pelo homem que ficou bastante abalado.

Parabéns atrasado vale sim, haha, muito obrigado.
Como essa é sua última postagem, vou lhe desejar antecipadamente um Feliz Natal cheio de luz e união e um maravilhoso ano novo com tudo aquilo de bom que você tem direito e merece.

Bjs =)

Betty Gaeta disse...

Oi Lu,
Hj estou passando rapidamente para desejar um Feliz Natal e um Ano Novo pleno de realizações.
Bjkas e uma ótima 5ª-feira para vc.

http://gostodistonew.blogspot.com/

Nina disse...

http://1.bp.blogspot.com/_3BCQM5-sb-Q/TQeA0beKYdI/AAAAAAAAAbA/rGA-3ZMWezM/s400/selinho.jpg

aqui em cima tá o link!

A regras são:

passar o selo para 10 blogs.
avisar os 10 blogs que ganharam o selinho.
falar 10 coisas sobre vc.

bjos

Amei seu post!

Babi disse...

Que triste o texto... nossa. Mas muito bem escrito, faz a gente querer saber o resto da história.

Que 2011 seja um ano abençoado!
Cheio de realizações e alegrias!
Feliz Natal e ótimo ano novo pra ti!
Beijão
=*

dear sarah disse...

Uau, bonita história, e um tanto triste tambem.

feliz natal pra você tambem querida!

Kauana da Costa Rosa disse...

ooi! passando aqui para avisar que mudei o meu cantinho =)
passa la depois e me diz o que achou =)
beeijos
http://blogdakaukau.blogspot.com/

Manuella Monte Santo disse...

Terminei o texto com o coração apertado. É dificil quando as histórias não tem finais felizes, mas pelo menos fica mais real né?

Feliz natal para a senhorita também.

Beijos.

Cynthia Brito disse...

é , baby , é uma música ;)

e ... estou vivendo-a!

:/


amo voocê um tantããão assim \o/
beeeijo "

Rebeca Postigo disse...

Triste...
Porém narraste de uma maneira doce e cativante...
Gostei!!!
Flor...
Feliz natal e um belo ano novo pra ti...
Que 2011 venha nos trazer inúmeras alegrias...
=D

Bjs

Marcos de Sousa disse...

Têm uns selinhos para você no meu blog. Depois passa lá para buscar.

http://omundosobomeuolhar.blogspot.com/2010/12/desabafo.html

Beijos e um feliz ano novo!

gabs disse...

selo pra ti flor

Naia Mello disse...

criança é muito mais esperta do que ingênua.

Ligia L. disse...

muito obrigada pelo carinho, deixado no meu blo *--*

beeijos

Rebeca Postigo disse...

Tem selinhos pra ti no meu blog...

Bjs

Marcos de Sousa disse...

Um feliz ano novo para ti. Que cada dia desse ano que vem traga chuvas de felicidade e amor para sua vida.

Ah, tem uns selinhos para você no meu blog, depois passa lá para buscar.

http://omundosobomeuolhar.blogspot.com/2010/12/abertura-do-novo-caderno.html

Beijos