terça-feira, outubro 19, 2010

“tudo ficará bem é apenas um dia ruim”


Estou deixando ir
Para ver se você se segura a mim
Estou em dúvida
Do que é pensamento e o que é real

Renegade-Kings Of Convenience




Ela dançava pela sala, uma bailarina, uma princesa, para mim, meu anjinho. Meus passos seguiam os seus, dançávamos em cima de um carpete cor gelo, no meio da sala entre uma poltrona preta e uma janela, lá fora uma noite estrelada e fria, soltei os seus dedos e sentei na poltrona.
Vem mamãe- meu anjinho chamava-me com as mãos.
A mamãe está cansada- confessei e descansei a cabeça no encosto da poltrona.
Minutos depois senti seu peso em minhas pernas e sua mãozinha acariciando o meu rosto- vou te dar um super beijo mamãe e ai você vai fica melhor e vai voltar a brincar comigo.
Aproximei meu rosto do seu- então, vamos lá, me de este super beijo- Senti seu lábio pequeno e quente, pressionado em minha pele, acariciei seu cabelo e a puxei para mais perto a envolvendo em um abraço, ela também correspondeu e encostou sua cabeça em meu seio.
Melhoro mamãe?- interrogou.
Sim querida, estou bem melhor- sorri.
Mamãe.
Sim anjinho.
Acho que, quero corta meu cabelo.
Mas por quê?- perguntei pegando em seu cabelo comprido que emanava um aroma doce.
Quero ficar igual a você mamãe- confessou.
Sua resposta foi como um banho de água fria em meu corpo, fazendo com que meus olhos ficassem embaçados com lágrimas, que eu insistia em ignorar.
Meu anjo, seu cabelo é lindo, não precisa ficar igual a mamãe.- Pedi.
Não, mas... - sem argumentos ela relaxou seu corpo em meus braços e bocejou.
Bem anjinho está ficando tarde, vamos dormir- ordenei.
Minutos depois estávamos em seu quarto e ela já deitada na cama, dormia o sono mais profundo e tranquilo, sono de criança que brincou o dia inteiro. Sorri comigo mesma em pensar como ela estava crescendo tão depressa e sadia, agradeci a Deus pela oportunidade de participar desses anos de sua vida então as lagrimas, antes ignoradas, venceram-me e molharam meu rosto.
Amor?
Olhei para a porta, ali estava, o meu outro amor- Oi querido.
Como você está?- ele caminhou até a cama, beijou meus lábios e depois se inclinou mais um pouco para beijar o nosso anjinho.
Estou bem- voltei a vigiar meu anjinho e depois o encarei- ela está crescendo tão rápido Léo.
Sim está. Queria ter saído mais cedo, só que infelizmente não deu, queria ter brincado um pouco com ela hoje- ele aproximou-se mais uma vez do nosso anjinho e acariciou o seu rosto- minha princesa está crescendo tão depressa... – ele voltou os seus olhos para mim- querida, vamos para o nosso quarto, antes que ela acabe acordando?
Sim vamos- concordei e depois beijei meu anjinho mais de duas vezes, muito amor e medo juntos, deixava-me angustiada, medo de perdê-la, medo do inevitável, medo... Dei mais um beijo e senti seu cheiro,depois segui meu esposo até nosso quarto onde, minutos depois estávamos deitados em nossa cama.
Ele começou a me interrogar-Como se sentiu hoje querida? Tomou os remédios?
Sim, estou bem e tomei todos os remédios.-respondi.
Ele me puxou para seus braços, beijou-me os lábios- eu te amo.
Prometa-me uma coisa?- perguntei.
Qualquer uma- respondeu.
Não perca momentos como hoje, acompanhe sempre a vida dela e seja o mais próximo possível, seja seu melhor amigo, fique sempre ao lado dela, não a deixe só... Acompanhe seus passos, seu crescimento, sua vida... - não contive e outra vez estava chorando, senti seus dedos em uma tentativa frustrante de secar minhas lagrimas e em seus olhos, observei, que desejam também mandar sentimentos para fora, mais uma vez, as lágrimas e o medo.
Querida, pelo amor de Deus- ele desistindo das lagrimas me abraçou- eu prometo sim querida, mas nós vamos acompanhar a nossa filha crescer, você estará aqui...
Não, não vamos deixar as coisas mais difíceis meu amor- reparei em sua beleza, como era sortuda em ter Léo comigo, ele que sempre foi forte e decidido, sempre vendo alternativas e soluções, mesmo quando as coisas apertavam e eu não podia nem levantar da cama, era Léo quem largava o mundo dele para ficar semanas comigo em casa, cuidando de mim e da nossa filha e sempre dizendo: “tudo ficará bem é apenas um dia ruim”. Ele era mais do que especial, era mais que um amor e um marido, era um amigo, um pai, um irmão... mais uma vez agradeci a Deus por ter passado anos da minha vida com ele, por tê-lo amado e ter sido sentimentos recíprocos- eu não estarei mais aqui, cedo ou tarde, você sabe. A cada dia que passa, eu considero um milagre, os médicos me deram oito meses e já se passou um ano...
Então- ele me interrompeu- você vivera para ver nossa filha crescer e para envelhecermos juntos...
Não falei mais nada, fiquei ali em silencio com meus pensamentos, sentia minha alma se despedir do meu corpo, meu coração estava em paz, agora que ele prometera sabia que nossa filha ficaria bem.
Em lagrimas ficamos ali e nos meus braços, ele como um menino com medo, se aconchegou. Ficamos ali, pelo menos... Ele ficou.

5 comentários:

O gerente disse...

A fortaleza é algo de tao inexplicavel que muitas vezes nem imaginamos sermos capazes de manter uma dentro de nos, abrigando com segurança os nossos. Me sinto ate mais forte apos essa leitura.

Beijos Lu. Adorei!

Luria Corrêa . disse...

Que lindo e que triste Lu. A vida nos impõe a desafios em que somos submetidos a escolhas e esforços, e admiro como você consegue expressar isso lu. Belo post!

beijos :)

dear sarah disse...

Que lindo, ela deves ser realmente uma bailarina da vida.
E muito especial!

ótimo texto.

DRI ∞ disse...

Não dá pra explicar em palavras. Estou te seguindo!

Maíra disse...

Adorei seu blog! Estou te seguindo. Dá uma pasadinha no meu http://mairacintra.blogspot.com/ e espero que goste
Bjos