sexta-feira, outubro 22, 2010

De Doug para seu amor…

 

 

“Don't you worry about the distance

I'm right there if you get lonely”♪

 

 

Segunda-feira, 17 de Novembro de 2008 17h30min/pm

…sabe hoje pela manhã assim que cai da cama senti o seu cheiro, estranho né? Pois você está tão longe de mim e eu ainda consigo sentir seu cheiro e sua presença aonde quer que eu vá. Sinto a sua falta, você não faz ideia amor.

Ontem sua mãe ligou e disse que há duas semanas você liga para ela, espero que você esteja trabalhando muito, torço por isso. Mas desejo que não se esqueça de mim como está se esquecendo da sua família. Lembre-se querida “equilíbrio... equilíbrio”.

E antes que eu esqueça o Tody acabou com a pelúcia que eu te dei no último dia dos namorados, não pude evitar, sai para comprar o jornal e quando voltei ele tinha entrado no quarto e estava em cima da cama (risos) coitado do ursinho Marrom, Amor prometo que comprarei outro.

Falando em comprar...

Eu comprei aquela massa de macarrão que você tanto gosta, sei que  ainda faltam dois meses para você voltar, mas estou aqui treinando um molho que meu pai me ensinou lá no restaurante, falando nisso,  eu vou gerenciar o restaurante do centro, acredita? Meu pai deu essa novidade nesse fim de semana, gostaria que você estivesse aqui conosco. Serei agora o chefe de cozinha do segundo restaurante mais badalado do centro! Eu marquei a minha data de estreia para o dia 18 de Janeiro. Sim, é isso mesmo que você está pensando, uma semana depois da sua chegada, assim você estará aqui.

Minha menina... Tenho que ir agora, estou indo para o restaurante.

Um beijo nessa sua boca, que eu estou morrendo de saudade e espero que tenha recebido o meu presente.

Eu amo você.

Doug.

 

“Oh it's what you do to me

Oh it's what you do to me..♪”

Em algum lugar…  Um rapaz de cabelos lisos e olhos castanhos lê o e-mail. Uma lágrima cai de seu rosto, sentiu um aperto em seu coração, alguém havia ligado às luzes e o espetáculo tinha acabado. O amor o pegou a quatro meses, dando-lhe vida e esperança de que tudo era possível,  que o amor verdadeiro existia. Ele acreditou, ele confiou se entregou de corpo alma. Ele que a cada semana estava com uma mulher diferente, e que fora tantas vezes culpado de corações partidos. Ele que era tão namoradeiro sedutor. Agora era a bola da vez, ele fora seduzido, seu coração fora enganado, seu amor e sua dedicação foram em vão. Nada tinha sido real, nada.

 

 

Música usada( os dois trechos) -

Hey There Delilah-Plain White T’s

3 comentários:

Nina disse...

Lindo*

Amanda Arrais disse...

Já fui vítima da distância e ela machuca.
A música combinou perfeitamente com a situação. ( e ela é inexplicavelmente linda).
É clichê dizer isso, mas o amor, quando é forte, supera sim o tanto de quilômetros que existirem.

=*

Betty Gaeta disse...

Oi Lu,
Gostei tanto da carta, da primeira parte que vc escreveu, que não queria que tivesse terminado mal...
Bjkas e um ótimo final de semana para vc.

http://gostodistonew.blogspot.com/