sexta-feira, agosto 13, 2010

Time, is going by...

Um senhor prepara uma xícara de chá, pega um pequeno pote branco ao lado do vaso de flores e despeja um pouco na xicara, mistura e a carrega depois para sala. Entrega a xicara, azul céu com estrelas amarelas, a uma senhora que esta sentada no sofá assistindo televisão – com mel? – ela pergunta.
-só um pouco – ele responde e aconchega-se ao lado dela, descansando sua mão sobre a perna dela, e ela em sintonia, coloca uma das mãos sobre a mão dele e com a outra leva a xicara a boca, de gole em gole toma sua bebida preferida. Depois do termino do chá a senhora coloca a xicara sobre a mesa, perto do abajur caqui, e quando volta é surpreendida por uma boa sensação, a mão dele alisando seus cabelos brancos, sorri ao encarar o esposo, apesar de tanto tempo juntos ainda pareciam um jovem casal de namorados, apaixonados, e o melhor, ainda eram esse casal apaixonado, só que agora, eram mais. Ele sorri e com a mão afaga a sua bochecha pálida, apesar de sua senhora ser uma bela morena, ela sempre teve um rosto sem muitas cores, apenas seus olhos, ah! Seus olhos tinham vida própria, toda vez falavam antes que a boca soltasse as palavras, era sua principal comunicação com o mundo e a principal fonte de sedução para ele. Aproximou-se do ouvido dela, para sentir seu cheiro, mas não se conteve – minha menina- o apelido carinhoso sobrevivera há 57 anos e ainda fazia sucesso entre o casal- eu te amo tanto- ela sentiu o seu velho coração disparar, aquelas palavras ainda a agitava, a senhora o encarou e depois o beijou, sussurrando entre os lábios- você é minha metade, meu menino- ele sorrio e seus olhos ficaram marejados, suas palavras e seus beijos, abraços e caricias, ainda eram sentidas como se fossem as primeiras...

8 comentários:

O gerente disse...

Não sei se chego lá, mas eu acredito que a paixao sobreviva a terceira idade... talvez ate o sexo sobreviva a ela, ainda que na ajuda de uma muletinha, vez ou outra, quem sabe...

beijos Lulu!

Rodolpho Padovani disse...

Ah, é tão bom ler/ver histórias de amor que chega até a velhice, crescendo cada vez mais, hoje em dia isso é tão raro. Gostei.

Bjs =)

Luiza disse...

que bonito um amor que sobrevive a tanto. acho que no fundo é o que todos queremos. beijos

Ana Seerig disse...

Uou, que bonitinho!
Gostei mesmo!

*-*

Por falar em gostar, fico feliz que tenhas gostado do meu poema com a Ferro!

;D

Milla disse...

Acho que quando o amor é verdadeiro, mesmo que ele tenha sido perdido, há uma chance dele durar por um bom tempo. Ver um amor envelhecer conosco é algo que muitos desejam :)

beijos

Olga Durães disse...

que bonito isso.

Betty Gaeta disse...

Oi Lu,
Adorei o texto. Eu fui casada mais de uma vez, mas acho que encontrei a pessoa certa. Sou muito feliz com o meu marido e espero chegar lá com ele. Ele é a pessoa com quem quero chegar à velhice.
Bjkas e uma ótima quarta-feira para vc.

Amanda Viagi disse...

Lindo texto, adorei *-*
To seguindo seu blog ai, gostei muito *-*